Você está aqui: Página Inicial Notícias 2017 Abril Curso de Gestão Ambiental da Ufopa recebe conceito 4 em avaliação do MEC

Curso de Gestão Ambiental da Ufopa recebe conceito 4 em avaliação do MEC

A Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) comemora mais um curso avaliado pelo Ministério da Educação (MEC) com conceito 4. A coordenação do Bacharelado em Gestão Ambiental recebeu a visita técnica da comissão avaliadora do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nos dias 6 e 7 de abril deste ano. As avaliações in loco visam ao reconhecimento do curso pelo MEC e são condição necessária, juntamente com o registro, para a validação nacional dos diplomas.

Durante a visita, foram averiguadas as reais condições de oferta do curso. Foram avaliadas três dimensões: a organização didático-pedagógica (1ª dimensão); o corpo docente e tutorial (2ª dimensão); e a infraestrutura (3ª dimensão). A avaliação obedece a uma escala conceitual que vai de 1 a 5. “Os avaliadores destacaram como pontos positivos o modelo e a organização didático-pedagógica do curso. Nosso Projeto Pedagógico de Curso (PPC) também foi bastante elogiado. É na infraestrutura que precisamos melhorar e com certeza estamos caminhando para isso”, ressalta o coordenador do curso, professor José Max Barbosa de Oliveira Júnior.

A primeira turma específica de Gestão Ambiental terá início no primeiro semestre letivo de 2017. Vinculado ao Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA), o curso teve suas vagas iniciais ofertadas no processo seletivo de 2014. Depois de passarem dois anos e meio cursando disciplinas do Bacharelado Interdisciplinar (BI) em Ciências e Tecnologia das Águas, os discentes deverão integralizar três semestres de disciplinas específicas para concluir o Bacharelado Profissional.

“É uma vitória muito grande obtermos conceito 4 antes mesmo de termos uma turma formada. Esse conceito é um estímulo para todos nós, especialmente para os alunos que estão prestes a iniciar a parte específica do curso e também para aqueles que pretendem ingressar. Esse conceito demonstra que curso apresenta um perfil muito bom de qualidade”, destaca o coordenador.

Atualmente, o bacharelado conta com nove professores, sendo quatro doutores e cinco em fase de conclusão do doutorado. A composição do corpo docente inclui biólogos, administrador, cientista ambiental, advogado, geógrafo e engenheiro ambiental e sanitarista, por exemplo, refletindo a multidisciplinaridade da grade curricular.

Processo de reconhecimento – Realizado pelo MEC, por meio da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e com a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes), o processo de reconhecimento é organizado em três fases.

O primeiro passo é o preenchimento de um formulário com informações sobre o projeto pedagógico do curso (PPC). Na segunda fase, é necessário preencher um formulário com informações a respeito de três dimensões avaliadas: a organização didático-pedagógica do curso; o corpo docente e tutorial; e a infraestrutura. Nesta última dimensão – infraestrutura – são avaliados quesitos como acessibilidade, laboratórios, bibliotecas e salas de aula, por exemplo. A última etapa é constituída pela visita in loco feita pelo Inep, via MEC. Os avaliadores vêm até a instituição para verificar suas instalações e averiguar as reais condições de oferta dos cursos. Em média, o processo completo leva de dois a três anos para ser concluído, até que seja publicada a portaria de reconhecimento do curso.

Renata Dantas - Comunicação/Ufopa

17/4/2017