Você está aqui: Página Inicial Notícias 2017 Novembro Oficializado funcionamento da Base Científica da Ufopa em Curuá-Una

Oficializado funcionamento da Base Científica da Ufopa em Curuá-Una

Oficializado funcionamento da Base Científica da Ufopa em Curuá-Una

Foto: Rosa Rodrigues

Em programação no âmbito do aniversário de oito anos da Universidade Federal do Oeste do Pará, foi realizada na quarta-feira, 8, a oficialização do funcionamento da Base Científica de Curuá-Una, numa parceria entre a Ufopa e as Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A – Eletrobrás/Eletronorte.

A cerimônia ocorreu na própria usina, com a presença de alunos, professores e representantes dos institutos que têm laboratórios de pesquisa na base científica, que, de acordo com a reitora, Raimunda Monteiro, tem o objetivo de promover a produção do conhecimento de forma interdisciplinar, considerando as comunidades existentes no entorno da hidrelétrica de Curuá-Una.

Representando a Eletronorte, esteve presente à cerimônia o senhor Mário Rodrigues Pedreiro, que destacou a importância da parceria para a comunidade, assim como para a universidade e para a empresa.

A parceria entre Ufopa e Eletronorte para a criação da base foi celebrada no ano de 2013, sendo que as obras de reforma e construção dos laboratórios se iniciaram no ano seguinte.

O pró-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação Tecnológica, Sérgio de Melo, informou que as primeiras discussões sobre a parceria ocorreram em 2011 e desde 2012 são realizadas atividades de pesquisa na área.

Ao longo dos últimos anos, as pesquisas relacionadas à base de Curuá-Una resultaram em 11 dissertações de mestrado e uma tese de doutorado concluídas. Existem três teses e outras dissertações em andamento.

A área de pesquisa pode atender a todas as unidades acadêmicas da Ufopa, mas os laboratórios existentes estão ligados a três institutos, de forma mais específica.

O Instituto de Biodiversidade e Florestas (Ibef) tem um complexo de laboratórios que envolve o Observatório  da Biodiversidade e Florestas, a área Biotecnologia de Conservação de Espécies Nativas, a área Fitossanidade de Espécies Nativas e a área Socioeconomia da Amazônia.

O Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA) tem o Laboratório de Limnologia e Qualidade da Água, o Laboratório de Monitoramento Ictiológico e Pesca e o Laboratório de Plâncton, que já estão em atividades.

O Instituto de Engenharia e Geociências (IEG) criou no espaço da base o Centro de Energia e Tecnologias no Monitoramento. Atualmente, o Grupo de Ciências Atmosféricas iniciou um projeto de monitoramento ambiental e micrometeorológico especialmente na interface entre lago e atmosfera. O instituto também está projetando um galpão anexo para ensaios de pequenas turbinas hidráulicas e ensaios de bombas, com o apoio de uma empresa de fabricação de bombas.

O pró-reitor Sérgio de Melo destacou que o repasse dessa infraestrutura foi um grande passo para a consolidação da Ufopa na produção do conhecimento científico, com incentivo à pesquisa tanto na pós-graduação quanto na graduação.

A reitora Raimunda Monteiro informou que a Ufopa e a Eletronorte fizeram investimento na ordem de dois milhões de reais nas obras de reforma e na aquisição de equipamentos para os laboratórios. A oficialização do funcionamento é importante para que a “sociedade saiba que existe este trabalho da universidade funcionando ao lado da usina e que este trabalho vai auxiliar nas decisões sobre a gestão da bacia do rio Curuá-Una”, disse a reitora. Raimunda Monteiro ressaltou que “a partir de agora, com os estudos realizados pela universidade, a população que mora na bacia do Curuá-Una e no entorno poderá ter conhecimentos mais seguros para as decisões ambientais, sociais e econômicas”.

A Base Científica de Curuá-Una é resultado de parceria entre o Ministério de Minas e Energia e o Ministério da Educação, por meio da Ufopa, que possibilitou a construção de espaços para pesquisas desenvolvidas pela Universidade. A estrutura da base científica conta com três prédios de laboratórios, um biotério, um alojamento para mais de 40 alunos e oito apartamentos para professores.

Rosa Rodrigues - Reitoria/Ufopa

9/11/2017