Químicxs negros e negras do século XX e o racismo institucional nas ciências

Autores

  • Arlene Santos Silva
  • Bárbara Carine Soares Pinheiro

DOI:

https://doi.org/10.24065/2237-9460.2019v9n4ID1007

Resumo

O presente trabalho traz a trajetória de alguns cientistas negros e negras da área química que atuaram durante o Século XX, contrapondo as políticas separatistas de seus tempos. As atuações destes e destas cientistas serviram de exemplo de luta e resistência, além de contribuírem para a ampliação do legado afrodescendente no âmbito técnico e científico da humanidade. A análise das trajetórias desses cientistas foi feita sob a perspectiva do reflexo do racismo e racismo institucional no desenvolvimento de seus trabalhos e carreiras acadêmica e profissional. A partir deste estudo foi percebida a necessidade de reafirmar a imagem da população negra como uma população intelectualmente produtiva, redirecionando a centralidade da evolução e desenvolvimento tecnológico e científico de modo a mostrar a real face do desenvolvimento, plural, no que tange à etnia e gênero dos e das cientistas e produtores de tecnologias e conhecimentos pelo mundo.

 

Palavras-chave: Racismo institucional. Cientistas negros e negras. Relações étnico-raciais nas ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2019-10-01

Como Citar

SILVA, A. S.; PINHEIRO, B. C. S. Químicxs negros e negras do século XX e o racismo institucional nas ciências. Revista Exitus, [S. l.], v. 9, n. 4, p. 121 -146, 2019. DOI: 10.24065/2237-9460.2019v9n4ID1007. Disponível em: http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1007. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

Dossiê