Juventudes e redes sociais: interações e orientações educacionais

Lia Machado Fiuza Fialho, Francisca Genifer Andrade de Sousa

Resumo


O advento das novas tecnologias tem alterado os modos de vida dos indivíduos na sociedade, em especial, dos usuários jovens de redes sociais. Questiona-se como se efetivam as interações juvenis com as redes sociais e quais orientações educacionais são mediadas por seus responsáveis, para o uso consciente dessa ferramenta. Realizou-se uma pesquisa qualitativa que envolveu 30 participantes - 15 jovens cearenses e 15 pais - com o objetivo de compreender a utilização das redes sociais pelos jovens e as mediações educacionais desenvolvidas pelos responsáveis para orientação ao uso crítico dessas ferramentas. A coleta de dados, realizada mediante questionários mistos, possibilitou constatar: tempo excessivo de utilização da internet pelos jovens, em maior proporção para acesso às redes sociais; Facebook, Whatsapp, Mensseger e Instagran, respectivamente, como aplicativos mais utilizados; relação de dependência com a internet e autoexposição; e ausência de orientação educacional veiculada pelos pais e pela escola aos jovens. As discussões desses resultados apontaram para relevância da formação de identidades juvenis desde a sociabilidade intermediada pelas tecnologias da informação e comunicação, o que gera a necessidade dos pais conhecerem e acompanharem as interações realizadas pelos seus filhos nas redes sociais para evitar situações de perigo e orientar o uso crítico e consciente com mediação educacional dialógica.

 

Palavras-chave: Redes sociais. Juventudes. Orientação educacional.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.24065/2237-9460.2019v9n1ID721

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


          

A Revista Exitus está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.