Revista Exitus http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus <div> <p><strong>Atenção:</strong> Informamos que a Equipe Editorial, a fim de preservar sua qualidade e reiterando seu compromisso científico, optou pela decisão de suspender temporariamente (de 20.11.2021 a 28.02.2022) a submissão de novos manuscritos, manteremos aberta a submissão de artigos provenientes de autores com vínculo em instituições de ensino estrangeiras e resenhas.</p> </div> <div> </div> <div><img src="blob:http://www.ufopa.edu.br/0158ecc2-56c7-4bf8-867e-ebe2b4272939" alt="" /> </div> <div>A Revista Exitus da Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA, é um períodico de Publicação Contínua.</div> <div>Tem como metas incentivar o debate e propiciar a divulgação da produção científica, como veículo de diálogo permanente entre os profissionais da Educação. Assim, seu projeto editorial visa contribuir para a difusão do conhecimento na área da educação, por meio de temáticas regionais, nacionais e internacionais. Publica trabalhos originais, referentes à área da Educação sob diferentes campos da pesquisa como: Estudos em Formação Docente, Práticas Pedagógicas, Políticas e Gestão Educacional, dentre outras temáticas da Educação. São aceitos trabalhos em português, inglês e espanhol, na forma de conferências, artigos e resenhas.</div> <div><a title="Google Scholar - Citações" href="https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&amp;authuser=1&amp;user=qX3gtBMAAAAJ" target="_blank" rel="noopener">Google Schoolar - Citações</a></div> Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA pt-BR Revista Exitus 2237-9460 Declaro que o trabalho apresentado é original, não tendo sido submetido à publicação em qualquer outro periódico nacional ou internacional, quer seja em parte ou em sua totalidade. Assim, concordo que os direitos autorais a ele referentes se tornem propriedade exclusiva da Editora da Revista Exitus, sendo vedada qualquer reprodução total ou parcial, em qualquer outra parte ou meio de divulgação impresso ou eletrônico, sem ser citada a fonte. Declaro, ainda, estar ciente de que a não observância deste compromisso submeterá o infrator a sanções e penas previstas na Lei de Proteção de Direitos Autorais (Nº 9.610, de 19/02/1998). EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NACIONAL NA DITADURA CIVIL-MILITAR http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1782 <p>A análise apresentada neste texto adota como premissa o fato de que as ações do Estado, no âmbito da educação, tais como decretos e reformas do período, foram orientados pela diretriz do desenvolvimento com segurança e também pela teoria do capital humano, que atendia aos interesses hegemônicos do capital. Assim, o presente estudo foi pautado no materialismo histórico, que compreende que as ações dos homens não se explicam por si, mas a partir das relações sociais estabelecidas na produção da existência. Nesse sentido, este trabalho foi organizado a partir da presença da Doutrina de Segurança Nacional na formulação das diretrizes educacionais e as reformas do ensino superior (Lei 5.540/68) e da educação básica (Lei 5692/71). Por fim, pode ser mencionado que o modelo educacional que emergiu da ditadura foi caracterizado pelo viés tecnocrático, que defendia uma concepção pedagógica tecnicista e produtivista de educação, o que era condizente com as demandas da burguesia, associada aos interesses imperialistas.</p> Marco Antônio Gomes Cláudia Barbosa Lobo SUZANE MENESES CAETANO Copyright (c) 12 PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E LUDICIDADE http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1781 <p>A ludicidade que acreditamos contribuir para as práticas pedagógicas, significamente, é aquela que se configura como inteireza, vivenciada individualmente pelos sujeitos. Nesta perspectiva, esse estudo teve como objetivo apresentar as práticas pedagógicas desenvolvidas por professor dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, discutindo se as mesmas são atravessadas pela ludicidade.&nbsp; Tratou-se de uma pesquisa qualitativa e exploratória, realizada em Amargosa-Bahia, tendo como participantes quatro professoras da rede municipal deste município. Para produção dos dados, optou-se pelas entrevistas semiestruturadas, realizadas individualmente e exploradas a partir da análise de conteúdo. Assim, ficou evidenciado que a ludicidade aparece nas práticas pedagógicas muito como recurso didático, modificando pouco os modos de fazer docente já que aprarecerm muito como jogos, brincadeiras e outros artefatos, que servem para ensinar os conteúdos. Desse modo, a ludicidade como plenitude pouco atravessam as práticas das professoras mencionadas.</p> Rafaela Sousa Guimarães Lúcia Gracia Ferreira Copyright (c) 12 PNAIC, O ENSINO INCLUSIVO E AS PRÁTICAS DE ALFABETIZAÇÃO EM XAXIM/SC http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1780 <p>Compreende-se que alfabetização deve ser um processo estruturado que objetive a emancipação humana e a superação dos processos de exploração e de alienação impostos via educação seletiva e excludente. Com o objetivo de analisar as implicações da formação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa nas práticas de alfabetização no ensino inclusivo em Xaxim/SC, usou-se a perspectiva epistemológica histórico-cultural para analisar os planos de ensino das alfabetizadoras e das segundas professoras de três turmas de alfabetização do ensino fundamental, bem como foram incluídos momentos de observação nas turmas compostas por estudantes com deficiência intelectual. Os resultados possibilitaram identificar que o contexto que marca a alfabetização brasileira ocorreu principalmente pela via da formação de alfabetizadores, a exemplo do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, porém, ao se observar a articulação desse programa com o ensino inclusivo, identificaram-se implicações nas práticas alfabetizadoras, as quais resultaram em simplistas, fragilizadas e excludentes.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> Marineiva Moro Campos de Oliveira Copyright (c) 12 PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA ESCOLA EM FACE ÀS INCERTEZAS DE UM MUNDO EM CRISE http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1778 <p>Este trabalho tem como objetivo apresentar reflexões e pontos de partida para enfrentar os desafios que caracterizam a atual crise mundial. Para isso, é considerado diferentes cenários e aspectos cruciais que permitem pensar em uma transformação real, que supere essencialmente as visões simplistas ou limitadas da educação. É feita uma análise dos problemas sociais e movimentos sociais atuais. A partir de uma efetiva renovação, esses movimentos têm o propósito de possibilitar uma participação genuína que substitua os sistemas políticos e econômicos vigentes. Além disso, destaca-se o papel da escola como elemento transformador, ao propor a necessidade de uma mudança. Essa mudança permitirá que a escola recupere sua essência e seu verdadeiro sentido. Espera-se que as questões e incertezas apresentadas sejam pontos de partida para outras abordagens e considerações, e que permitam promover a compreensão do mundo atual para ter uma qualidade de vida melhor para todos.</p> Nora Mesa Agudelo Copyright (c) 12 Um FORMAÇÃO COMO PROCESSO DE RECULTURAÇÃO PROFISSIONAL http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1777 <p>Ao problematizar a identidade de professoras da educação básica no Norte do país, com a mediação de narrativas autobiográficas e relatos de experiências bem-sucedidas, evidenciou-se&nbsp; a reculturação e a criatividade profissional, e a pesquisa fez emergir a <em>Mimese</em> da formação continuada.</p> GILVETE DE LIMA GABRIEL Copyright (c) 12