Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ultima atualização em 10 de Dezembro de 2018 às 12:24

Embaixada de Luxemburgo apoia projeto de digitalização de documentos históricos na Ufopa


A Embaixada do Grão-Ducado de Luxemburgo, país de pouco mais de 500 mil habitantes na Europa Ocidental, patrocina o projeto de digitalização de documentos históricos do Centro de Documentação Histórica do Baixo Amazonas (CDHBA). A iniciativa se deu a partir de visita do embaixador daquele país, Carlo Krieger, e de sua comitiva, ao Centro de Documentação, em setembro deste ano, durante visita da Delegação da União Europeia ao Brasil.

Ao tomar conhecimento do projeto da Ufopa, o embaixador voluntariamente se ofereceu para incentivar à iniciativa. “O patrocínio de Luxemburgo se liga, em certa medida, ao vínculo histórico do Grão-Ducado com a cidade de Santarém, já que o padre João Felipe Bettendorff, fundador da missão jesuíta que veio a originar a cidade, é natural do que hoje constitui Luxemburgo”, disse o coordenador do Centro de Documentação, professor Gefferson Ramos.

O CDHBA está ligado ao Curso de História, através do Programa de Ciências Humanas do Instituto de Ciências da Educação da Ufopa, e realiza trabalho de digitalização de documentos dos foros cível e criminal dos séculos XIX e XX da Comarca de Santarém, a partir de parceria estabelecida com o Tribunal de Justiça do Pará para organização, catalogação e disponibilização do acervo para pesquisa.

O acervo reúne os mais variados tipos de documentos, tais como processos-crimes, inventários, ações trabalhistas, documentos que permitem investigar temas essenciais da história do Baixo Amazonas, de maneira geral. De forma particular, destaca-se material de Santarém, como documentos do processo de ocupação no século XIX, a cultura material de seus moradores, a escravidão africana e a exploração da mão de obra indígena, entre outros temas.

Entre os documentos que estão sendo organizados constam papeis relativos à grande revolta da Cabanagem, à migração dos confederados do Sul dos Estados Unidos para a região, ao funcionamento de grandes projetos empresariais, como Fordlândia, etc.

Patrocínio

O patrocínio da embaixada, da ordem de 5 mil euros, permitirá digitalizar, catalogar e levar a público parte desses documentos. Os recursos permitirão ainda a contratação por um ano de dois bolsistas do curso de História da Ufopa, a aquisição de um escâner do tipo planetário, de alta resolução, e de um notebook. “Para que o projeto se tornasse possível foi de fundamental importância a intermediação da antropóloga Emilie Stoll, pesquisadora do Conselho Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) da França e da Universidade de Paris 7 Diderot, também colaboradora do Centro de Documentação”, destacou o professor Gefferson Ramos. Ele também ressaltou que o CDHBA conta com a participação da professora Isabel Creão, do curso de História, na vice-coordenação.

A partir desse acervo estão sendo desenvolvidas monografias de conclusão de curso de alunos de graduação, artigos científicos, dissertações de mestrado, teses de doutorado e trabalhos de pós-doutorado em instituições do Brasil e do exterior. O patrocínio da Embaixada do Grão-Ducado de Luxemburgo é essencial para que a Universidade cumpra o seu papel de ensinar, produzir e divulgar conhecimento na Amazônia, oferecendo oportunidades aos seus moradores, promovendo o desenvolvimento social de maneira responsável.

Comunicação/Ufopa, com informações do CDHBA

10/12/2018

Notícia em destaque