Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Evento Integrado de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil discute acesso e permanência do estudante na Universidade


11 de Setembro de 2019 às 12:49

Fazendo parte da programação da Jornada Acadêmica da Universidade Federal do Oeste do Pará, começou na manhã de hoje, 11 de setembro, no auditório da Unidade Tapajós, o I Fórum Integrado de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil da Ufopa, que reúne professores, técnicos e acadêmicos dos diversos campi da universidade para discutir as políticas de acesso e permanência dos estudantes.

As atividades continuam até amanhã, 12, com o tema “Acesso e Permanência na Universidade Pública, Gratuita e Multicampi”. O Fórum Integrado de Ações Afirmativas e de Assistência Estudantil tem natureza consultiva, propositiva, indicadora e de acompanhamento na área de ações afirmativas e assistência estudantil. Caracteriza-se por ser um espaço permanente de discussão e atuação nas garantias dos referidos direitos.

O Fórum é realizado pela Pró-Reitoria de Gestão Estudantil (Proges) por meio da Diretoria de Políticas Estudantis e Ações Afirmativas e da Diretoria de Acompanhamento Estudantil. A pró-reitora da Proges, professora Lidiane Leão, destacou que a proposta do Fórum, além das discussões, é a criação de um espaço democrático de diálogo e formulação de políticas públicas.

/media/file/site/ufopa/imagens/2019/464a297c577615fb9511cd81085c7061_m2cK0Bb.JPG
Mesa de abertura do I Fórum Integrado de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil da Ufopa.

 

Para a professora Solange Ximenses, que participou da mesa de abertura do evento como reitora em exercício, o Fórum é importante como espaço de discussão e, principalmente, como regulamentação das políticas institucionais. “São políticas que já estão em andamento, mas, com o atual contexto, elas estão fragilizadas pela condição de financiamento das universidades e porque ainda não estão regulamentadas”, destacou professora Solange. Ela enfatizou que essas políticas precisam ser regulamentadas a partir das suas especificidades. “As discussões do Fórum vão sistematizar as demandas, essas demandas serão regulamentadas e seguirão para discussão de volta para a comunidade e, posteriormente, para os Conselhos Superiores da Ufopa. Isso vai permitir que esses direitos, que foram conquistados, sejam, de fato, garantidos”, finalizou.

Da abertura do Fórum também participaram os representantes estudantis: Igor Santos, do Diretório Central dos Estudantes (DCE); Henrique Jesus, do Coletivo Quilombola (CEQ); e Crislaine Tapuia, do Diretório Acadêmico Indígena (DAIN). Os estudantes ressaltaram a importância do espaço de discussão e de apresentação de propostas, principalmente no cenário atual das Universidades brasileiras, com os cortes de recursos. Ressaltaram a necessidade de trabalho coletivo para não se perder os avanços conquistados em processos históricos, mas para se buscar a ampliação das políticas públicas pelo acesso e permanência dos estudantes no ensino superior, tanto no âmbito da graduação quanto da pós-graduação.

Ainda na manhã desta quarta-feira, a primeira mesa do evento destacou a temática “Diálogos Interdisciplinares sobre Acesso e Permanência na Universidade Pública e Gratuita: processo histórico, direitos conquistados e garantias necessárias”.

Rosa Rodrigues - Comunicação/Ufopa

11/9/2019

Na abertura do Fórum, apresentação Cultural com o grupo Iurupari. Foto: Comunicação/Ufopa.

Notícia em destaque