Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ultima atualização em 19 de Novembro de 2020 às 11:20

Óbidos e Arapixuna terão Centros de Memória e Meio Ambiente


O Centro de Documentação Histórica do Baixo Amazonas (CDHBA) da Universidade Federal do Oeste do Pará aprovou projeto junto à Fundação Gerda Henkel, da Alemanha, para a criação de dois Centros de Memória e Meio Ambiente na Amazônia, um em Arapixuna, distrito de Santarém, e outro no município de Óbidos.

O projeto foi elaborado em parceria com o Conselho Comunitário de Arapixuna e com a Associação Cultural Obidense (Ascob), sob a responsabilidade dos professores Gefferson Ramos Rodrigues, do curso de História da Ufopa, e Emilie Stoll, do CNRS (França). Professora Emilie faz uma pesquisa sobre a história do Cacoal Imperial e a atuação do francês Paul Le Cointe, em Óbidos, e outra sobre a histórias das famílias de Arapixuna. Professor Gefferson coordena, no CDHBA, o projeto de organização dos documentos do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), relativos a Óbidos e a todo o Oeste do Pará.

Em 2019, os dois professores realizaram trabalho de campo no distrito de Arapixuna fazendo levantamento das informações históricas do local. “Durante essa atividade, deparou-se com uma grande demanda por parte dos moradores sobre a necessidade de preservar documentos históricos que se encontravam em casas de particulares e em repartições públicas. Esse valioso acervo trata do cultivo do cacau e da ocupação da terra na região”, destacou professor Gefferson Ramos.

Segundo os pesquisadores, os temas comuns aos dois locais, como a história do cultivo do cacau e as mudanças nos usos da terra em regiões de várzea, permitiram nortear a elaboração do projeto que une as pautas de preservação patrimonial e de preservação do meio ambiente.

A partir da análise, foi celebrada a parceria que resultou no projeto enviado à Fundação Gerda Henkel. Os Centros de Memória e Meio Ambiente de Arapixuna e de Óbidos serão dedicados à preservação dos acervos históricos. “Além de cuidar dos documentos, o projeto também visa fazer o registro da memória oral sobre os conhecimentos acerca do meio ambiente junto aos moradores mais idosos das comunidades”, disse Ramos.

Projeto

O projeto para a criação dos dois Centros de Memória e Meio Ambiente foi contemplado com um valor de cento e treze mil e trezentos e cinquenta e sete euros. Tem a previsão para durar dois anos.

Apresenta como objetivo principal digitalizar documentos históricos e registrar memórias orais sobre a história nas mudanças da paisagem e no uso da terra tanto no município de Óbidos quanto no distrito de Arapixuna. “São regiões de várzea que sofreram muitas alterações em suas paisagens desde o início da colonização na região, com o cultivo do cacau, da seringueira, da juta e a criação de gado”, disse a professora Emilie Stoll.

Segundo ela, em Arapiuna, o projeto prevê uma obra de ampliação do Centro Comunitário. Será construída uma sala para ser dedicada ao Centro de Memória e Meio Ambiente da localidade, que também receberá os equipamentos adequados para a digitalização e armazenamento dos documentos.

No município de Óbidos, o projeto será executado com a implantação do Centro de Memória e Meio Ambiente no prédio do Museu Integrado, onde já há um montante de documentos a ser digitalizados.

“Os centros serão vinculados entre si e poderão compartilhar os seus acervos digitais, entre eles e com o Centro de Documentação Histórica do Baixo Amazonas da Ufopa, além de poderem disponibilizar o material a outras parcerias que podem ser realizadas com o Arquivo Público do Estado do Pará e o Museu Paraense Emilio Goeldi ”, acrescentou Stoll.

Os dois centros também terão espaços de consulta com um computador de mesa, no qual todo o acervo digital estará à disposição da sociedade. O projeto contempla bolsas para alunos de ensino médio, licenciatura, mestrado e doutorado, que vão atuar na ação, além de oficinas de formação técnica para os bolsistas.

Fundação Gerda Henkel

Criada em 1976, a Fundação Gerda Henkel é sediada em Düsseldorf (Alemanhã) e apoia projetos na área das “humanidades históricas”. Colabora na preservação de patrimônio cultural.

Comunicação/Ufopa

18/11/2020

Registro de atividade de campo no distrito de Arapixuna, em 2019

Notícia em destaque