Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ultima atualização em 21 de Novembro de 2018 às 10:54

Parceria com ICMBio e Comflona possibilita construção de novos tanques no Lampoa


O Laboratório Múltiplo para Produção de Organismos Aquáticos (Lampoa) do curso de Engenharia de Pesca conta com reforço na sua estrutura a partir da construção de três novos tanques de madeira para manutenção de peixes. Os novos tanques foram possíveis através de parceria estabelecida entre a Ufopa, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Cooperativa Mista da Flona Tapajós (Comflona).

A madeira utilizada na construção dos novos tanques é proveniente de árvores que caíram de forma natural na Floresta Nacional do Tapajós, coletadas com autorização do ICMBio, cortadas na serraria da Comflona e doadas ao Lampoa.

A construção destes tanques de madeira tem como principal objetivo realizar a fase de berçário de alevinos de tambaqui (Colossoma macropomum) no laboratório, até que atinjam peso de 50 g para serem estocados em tanques-redes instalados na comunidade do Tauari (Floresta Nacional do Tapajós). A parceria institucional (Ufopa, ICMBio e Comflona) está voltada para o projeto "Desenvolvimento de técnicas para a produção de tambaqui (Colossoma macropomum) em tanques-redes na Floresta Nacional do Tapajós", desenvolvido na comunidade do Tauari, no qual a Universidade participa com o conhecimento técnico-científico para a criação de peixes, com atuação de professores e acadêmicos da Instituição.

O coordenador do Lampoa, professor Luciano Vaz, destaca que essa parceria é importante para ampliar os conhecimentos técnicos sobre a produção de tambaqui e permitir que estes conhecimentos sejam transferidos para as demais comunidades da Flona Tapajós. "A ideia é o estabelecimento da piscicultura nas comunidades da Unidade de Conservação de uma forma lucrativa e a mais sustentável possível. Além disso, a participação dos alunos vivenciando o dia a dia da produção de peixes é fundamental para a sua capacitação profissional", destacou.

Projeto em Tauari

O projeto de criação de peixes com apoio da Ufopa é desenvolvido na comunidade Tauari desde o final de 2016, com base em um termo de cooperação entre Ufopa, ICMBio e Comflona. A iniciativa surgiu das experiências do ICMBio junto à comunidade, que decidiu trabalhar na criação de peixes, buscando uma nova forma de geração de renda, em substituição à criação de gado.

A partir daí, foi instalada uma unidade piloto com seis tanques-redes (2m x 3m x 1,5m) no lago do Tauari com acompanhamento técnico da Ufopa no desenvolvimento das primeiras produções, atuando no controle do crescimento e sobrevivência dos peixes, bem como no monitoramento da qualidade da água.

/media/file/site/ufopa/imagens/2018/b98e1955e93c7f9b8b9c32231979fdf0.jpg

Em 2017, na análise dos primeiros resultados, percebeu-se que, no período da baixa do rio Tapajós, os peixes param de crescer no lago do Tauari, devido à qualidade da água, que sofre interferência no período da vazante do rio. Por conta disso, decidiu-se fazer uma nova experiência, ajustando a data de estocagem e fazendo o processo de berçário dos peixes no laboratório por um período de três meses. Assim, os alevinos, que antes eram estocados com 7 g nos tanques-redes, passarão a ser estocados com um peso médio inicial superior (próximo de 50 g), podendo alcançar um peso final superior ao obtido na primeira produção em 2017.

/media/file/site/ufopa/imagens/2018/f6ac4453756338be9cdcebeb95f56f4d.jpg

Os tanques instalados no Lampoa têm capacidade de 6 mil litros de água cada e devem estocar cerca de 2 mil alevinos de tambaqui na nova fase do projeto. A estrutura também é utilizada para manutenção de reprodutores que serão utilizados em aulas práticas de reprodução de peixes no laboratório.

Comunicação/Ufopa

21/11/2018

Fotos: Prof. Luciano Vaz

Notícia em destaque