Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ultima atualização em 24 de Janeiro de 2023 às 09:59

Santarém recebe oficina teatral com grupos Cia do Caminho Velho e Iurupari


A Ufopa, por intermédio do Projeto Iurupari – Grupo de Teatro, receberá a oficina teatral “Da dramaturgia contemporânea à Sensibilidade", oferecida pela Cia do Caminho Velho, grupo vindo de Guarulhos (SP) e vinculado à Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O grupo, com 16 anos de atuação, desenvolve atividades gratuitas de cunho formativo e artístico no bairro dos Pimentas, na periferia de Guarulhos.

Inscrições – A oficina será realizada no dia 27 de janeiro de 2023, das 9h às 13h, no Espaço de Formação Cultural "Hélcio Amaral", localizado na unidade Rondon da Ufopa, em Santarém. As inscrições são gratuitas e serão oferecidas 16 vagas. Podem se inscrever pessoas a partir de 16 anos. A prática será ministrada pela atriz e integrante da Cia do Caminho Velho, Daiane Sousa, e pela artista Jéssica Miranda, ministrante dos núcleos formativos (2018-2021) e colaboradora do Projeto Iurupari da Ufopa. Ambas são mestrandas no Programa de Pós-Graduação em História da Arte da Unifesp e pesquisam Teatro e Antropologia.

Sobre a oficina – Aberta a todos os públicos, sem necessidade de conhecimentos prévios, a oficina é uma imersão no processo criativo desenvolvido pela Cia. do Caminho Velho, que propõe a leitura de uma dramaturgia contemporânea seguida de um procedimento cênico denominado "sensibilidade". A prática diz respeito a uma forma de ampliar a relação do ator-atriz/performer com o texto dramatúrgico e, consequentemente, com as suas possibilidades de composição cênica.

Dentre os principais interesses do grupo estão as dramaturgias contemporâneas e o trabalho do ator-atriz/performer. Investiga-se em cena caminhos que apontam na direção de uma pesquisa singular a partir da palavra. A companhia considera importante montar autores que estejam descobrindo novos jeitos de se fazer dramaturgia e que, ao fazer isso, busquem novas formas de experimentações com a linguagem. Junto a isso, o grupo investiga uma atuação sensível que propicie uma relação pulsante e sincera com o outro, seja esse outro um colega de cena, um objeto ou o público.

O trabalho é prático e pede-se aos participantes que compareçam com roupas adequadas à prática física.

Comunicação/Ufopa
20/01/2023

Notícia em destaque