Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ufopa fará avaliação do programa nacional “Criança Feliz” no Pará


13 de Abril de 2018 às 11:44

O Pará será o único estado da Amazônia a participar da avaliação nacional do programa, realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Social.

A Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) participará, nos próximos quatro anos, de um projeto de pesquisa nacional voltado para a avaliação das ações do “Criança Feliz”, programa do Ministério do Desenvolvimento Social que visa a melhorar o desenvolvimento psicomotor de crianças de zero a seis anos de idade do país. Sediada em Santarém (PA), a Universidade ficará responsável pela pesquisa de avaliação das ações do programa no Pará, único estado da região Norte selecionado para participar desse processo.

Há dois anos, o “Criança Feliz” vem promovendo visitas e ações educativas destinadas, principalmente, aos pais e cuidadores dessas crianças. O programa é desenvolvido com recursos do governo federal, através do Ministério do Desenvolvimento Social, em parceria com as prefeituras municipais, que também entram com uma contrapartida para a contratação dos agentes de saúde.

Para este ano, a Ufopa já recebeu R$ 439 mil do Ministério para fazer a avaliação das ações realizadas no Pará. “Pelos próximos quatro anos a Ufopa estará indo a campo para avaliar o desenvolvimento psicomotor das crianças atendidas pelo projeto no estado”, explica o professor Hernane Guimarães dos Santos Jr., do Instituto de Saúde Coletiva (Isco), unidade acadêmica da Ufopa responsável pela realização da pesquisa.

A partir de critérios epidemiológicos e estatísticos, foram selecionados para avaliação cinco municípios no Pará que aderiram ao programa: Altamira, Bragança, Breu Branco, São Miguel do Guamá e Tailândia. “A Ufopa ficará responsável pela avaliação do programa nesses cinco municípios”, ressalta Hernane Santos Jr. A pesquisa de campo será realizada por alunos de graduação da área de saúde, que farão entrevistas com os cuidadores e as crianças.

"Durante quatro anos vamos fazer o acompanhamento das crianças que integram o programa e também daquelas que são elegíveis, mas que não fazem parte da ação. O objetivo é verificar se o programa tem ou não resultados e quais são os resultados alcançados com as crianças atendidas. No primeiro ano será realizado o levantamento de dados para construção da linha de base e, nos anos seguintes, as mesmas crianças serão acompanhadas", explica.

Além do Pará, outros cinco estados brasileiros foram escolhidos para serem avaliados por universidades federais: São Paulo/Universidade de São Paulo (USP); Brasília/Universidade de Brasília (UnB); Bahia/Universidade Federal da Bahia (UFBA); Pernambuco/Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); e Ceará/Universidade Federal do Ceará (UFC). "A intenção é avaliar se essa política pública está apresentando resultados positivos, indicando o que é preciso melhorar nos próximos anos", explica.

Programa - De âmbito nacional, o “Criança Feliz” está presente em quase todos os municípios do país. Uma das principais ações do programa consiste na visita periódica de agentes de saúde para auxiliar e orientar os cuidadores no desenvolvimento psicomotor das crianças. Segundo o professor da Ufopa, nos países onde esse programa foi implementado, foram alcançados excelentes resultados. “As crianças atendidas nesses países melhoram cognitiva e psicologicamente, apresentando melhor desenvolvimento na escola. Por isso, o programa foi implantado no Brasil”.

Comunicação/Ufopa

13/04/2018

Programa Criança Feliz

Notícia em destaque