A comunidade na justiça restaurativa e a intersetorialidade no sistema nacional de atendimento socioeducativo: pontos de convergência

Autores

  • Gláucia Mayara Niedermeyer Orth UEPG
  • Jussara Ayres Bourguignon PUC-SP
  • Dirceia Moreira PUC-SP

DOI:

https://doi.org/10.30810/rcs.v3i6.1299

Resumo

Este artigo é parte de nossa tese de doutorado, que objetivou investigar
a justiça juvenil restaurativa e a articulação com a rede de proteção social
no atendimento ao adolescente em contexto de vulnerabilidade social no Brasil.
Recortamos de nossa tese a categoria de análise sobre a comunidade na justiça
restaurativa e a intersetorialidade no SINASE. Para isso, realizamos entrevistas
semiestruturadas com adolescentes, familiares, facilitadores e membros da rede
de proteção social de quatro cidades do país: Caxias do Sul-RS, Ponta Grossa-
PR, Belém-PA e Santarém-PA. A pesquisa foi orientada pelo método do materialismo
histórico e dialético. Concluímos que a comunidade na justiça restaurativa
e a intersetorialidade no SINASE podem convergir pela participação, tanto das
microcomunidades, quanto dos serviços.

Downloads

Publicado

2020-05-24

Como Citar

Orth, G. M. N., Bourguignon, J. A., & Moreira, D. (2020). A comunidade na justiça restaurativa e a intersetorialidade no sistema nacional de atendimento socioeducativo: pontos de convergência. REVISTA CIÊNCIAS DA SOCIEDADE, 3(6). https://doi.org/10.30810/rcs.v3i6.1299