A feira de Campina Grande: tradição e identidade

Autores

  • Maristela Oliveira de Andrade Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.30810/rcs.v4i8.1382

Resumo

Este artigo apresenta uma etnografia da feira de Campina Grande
como uma instituição multifacetada que abrange aspectos econômicos, sociais,
culturais e patrimoniais, com foco na tradição como elemento central e, no seu
lugar na formação da identidade da cidade. No percurso etnográfico o objetivo
foi desvendar a dinâmica da feira em vários planos: o espacial relativo à distribuição
dos bens comercializados; o da variedade dos bens e dos seus integrantes,
para compor este cenário múltiplo e complexo. Com a decadência da feira, a
cidade viveria sucessivas experiências frente a instituições, além da feira, suas
universidades, e festa junina, que assumiram um papel simbólico marcante no
processo de reconfiguração identitária da cidade. Do diálogo de saberes, científico
e popular, a feira pode vir a ser repensada e reintegrada ao imaginário dos
seus moradores, como um bem patrimonial imaterial.

Downloads

Publicado

2020-07-07

Como Citar

Oliveira de Andrade, M. (2020). A feira de Campina Grande: tradição e identidade. REVISTA CIÊNCIAS DA SOCIEDADE, 4(8), 11-29. https://doi.org/10.30810/rcs.v4i8.1382