Emergência indígena e abertura da história no Baixo Tapajós

Autores

  • ib Sales Tapajós
  • Nirson Medeiros da Silva Neto

DOI:

https://doi.org/10.30810/rcs.v3i5.983

Palavras-chave:

movimento indígena, Baixo Tapajós, etnogênese, história aberta

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre a emergência do movimento indígena como sujeito coletivo nos últimos vinte anos (1998-2018) na região do Baixo Tapajós, Oeste do Estado do Pará. Busca-se compreender o processo de etnogênese em curso na região, no qual dezenas de comunidades, antes classificadas como ribeirinhas ou caboclas, passaram a assumir publicamente a identidade de povos indígenas, lutando pelo reconhecimento de direitos diferenciados, em especial a demarcação dos seus territórios. De igual forma, o artigo busca analisar o significado histórico e os desdobramentos produzidos por esse fenômeno, tomando como suporte teórico a noção de história aberta de Walter Benjamin. Chega-se, ao final, à conclusão de que a emergência indígena reabriu dossiês históricos fechados acerca da história do Baixo Tapajós e alterou profundamente o panorama da região, com a conquista de importantes direitos pelos povos indígenas, especialmente o direito à autodeterminação.

Downloads

Publicado

2019-08-12

Como Citar

Tapajós, ib S., & Neto, N. M. da S. (2019). Emergência indígena e abertura da história no Baixo Tapajós. REVISTA CIÊNCIAS DA SOCIEDADE, 3(5), 14-38. https://doi.org/10.30810/rcs.v3i5.983