Os Borari e os Arapium: história do tempo presente

Autores

  • Kércia Priscilla Figueiredo Peixoto
  • Rodrigo Corrêa Diniz Peixoto

DOI:

https://doi.org/10.30810/rcs.v3i5.988

Palavras-chave:

TI Maró, Borari e Arapium, história do tempo presente, violência contra indígenas

Resumo

O artigo resgata a história, fazendo a ponte entre passado e presente, para informar sobre extermínios físico e cultural dos povos nativos do Baixo Tapajós, mas também para falar sobre a resistência dos Borari e dos Arapium da Terra Indígena Maró até os dias atuais. Os povos nativos sofrem com um modelo de reprodução de violências, física e simbólica, que atravessa o tempo. Uma violência que despreza o indígena, marginalizando-o na sociedade dominante e submetendo-o a ser um “outro” diverso e inferior. Missões jesuíticas, colonização, diretório indígena, cabanagem, ciclos da borracha, ressurgência na história, sentença judicial negando o direito de ser indígena, racismo. Todos esses momentos decisivos de violência sofrida, reconfiguração, resistências e insurgências da população nativa do Baixo Tapajós. Uma história que os Borari e os Arapium revelam através de vida e defesa do território, para o entendimento do que é ser indígena hoje

Downloads

Publicado

2019-08-12

Como Citar

Peixoto, K. P. F., & Peixoto, R. C. D. (2019). Os Borari e os Arapium: história do tempo presente. REVISTA CIÊNCIAS DA SOCIEDADE, 3(5), 140-168. https://doi.org/10.30810/rcs.v3i5.988