Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ultima atualização em 22 de Novembro de 2021 às 11:40

Pesquisadores da Ufopa trabalham em modelos computacionais que identifiquem propriedades farmacocinéticas de peptídeos


O projeto poderá facilitar o desenvolvimento e descoberta de fármacos, cosméticos e outras moléculas bioativas com aplicações industriais.

Peptídeos são biopolímeros produzidos por organismos vivos e formados pelo encadeamento de dois ou mais aminoácidos que apresentam muitas aplicações nas indústrias farmacêuticas, de cosméticos, agroquímicas e de alimentos. Suas propriedades estruturais e físico-químicas têm sido estudadas na Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) pelo emprego de técnicas computacionais de Bioinformática.

O projeto "Desenvolvimento de base de dados e algoritmos de inteligência artificial para análise da quimiodiversidade brasileira de peptídeos visando aplicações antivirais" está sendo desenvolvido pelo docente Kauê Santana, do Instituto de Biodiversidade e Florestas (Ibef) da Ufopa, em parceria com o professor Claudomiro Sales, do Laboratório de Inteligência Computacional e Pesquisa Operacional (LINC) do Institituto de tecnologia da Universidade Federal do Pará, e com o professor Anderson Lima, do Laboratório de Planejamento e Desenvolvimento de Fármacos (LPDF) do Instituto de Ciências Exatas e Naturais da Universidade Federal do Pará (UFPa). O projeto está em execução desde 2019 e conta com a participação de alunos de graduação, pós-graduação e docentes de três instituições de pesquisa: UFPA, Ufopa e Instituto Evandro Chagas.

Os pesquisadores pretendem criar modelos computacionais que possam identificar propriedades farmacocinéticas e antivirais de peptídeos. A farmacocinética é o campo da farmacologia que estuda o caminho percorrido pelos compostos no organismo, isto é, as etapas relacionadas ao metabolismo do fármaco em organismos vivos que vão desde a administração até a sua excreção.

A partir desses modelos computacionais também se poderá ter bases de dados que fornecerão informações de propriedades físico-químicas e estruturais de peptídeos de origem natural, o que facilitará o desenvolvimento e descoberta de fármacos, cosméticos e outras moléculas biologicamente bioativas com aplicações industriais.

Entre as atividades farmacocinéticas dos peptídeos que devem ser analisadas no projeto estão penetração de compostos na barreira hematoencefálica e na membrana celular, características estas essenciais para que fármacos utilizados no desenvolvimento de novos medicamentos possam atingir seus sítios de ação terapêutica.

Características relacionadas à penetração destes peptídeos na barreira hematoencefálica são essenciais para o desenvolvimento de novos compostos bioativos com ação no sistema nervoso central e podem permitir o tratamento de doenças de Alzheimer e Parkinson. Peptídeos que atravessam estas biomembranas também têm aplicações biotecnológicas, pois podem atuar como carreadores de vários compostos bioativos como RNAs de interferência, constructos gênicos e fármacos.

A primeira etapa do projeto é realizar o levantamento dos peptídeos publicados na literatura usando data mining e revisão bibliográfica sistemática. Uma publicação recente do grupo de pesquisa relacionado ao desenvolvimento destes modelos de inteligência artificial para prever a penetração de peptídeos através da membrana celular foi divulgada na Scientific Reports, revista de alto impacto do grupo Nature.

Acesse o artigo (aqui).

Comunicação/Ufopa

16/11/2021 atualizada em 22/11/2021

Representação de Ribbon de um peptídeo (imagem gerada pelo professor Kauê Santana no programa UCSF Chimera).

Notícia em destaque