Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Ultima atualização em 5 de Abril de 2021 às 11:43

Labimol realiza 1460 testes RT-PCR nos primeiros 30 dias de funcionamento na nova fase de trabalho


Com as novas instalações inauguradas no final do mês de fevereiro, o Laboratório de Biologia Molular (Labimol) da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) começou a realizar os testes RT-PCR, para detecção do novo coronavírus, no dia primeiro de março. Nesse primeiro mês de funcionamento, com números registrados até o dia 30 de março, foram realizados 1.460 testes de doze municípios da região Oeste do Pará. Do total, 67% foram positivos para o novo coronavírus.

Mais de 50% dos testes foram do município de Santarém (733), seguido por Monte Alegre (168), Óbidos (163), Rurópolis (122), Prainha (105), Itaituba (46), Curuá (33), Placas (30), Trairão (25), Juruti (20), Alenquer (11) e Oriximiná (4).

Para o coordenador do Labimol, professor Marcos Prado, esse cenário aponta os inúmeros desafios no enfrentamento da pandemia. “Nós temos o desafio de ampliar essa testagem, de fazer com que outros municípios da região Oeste do Pará enviem amostras para análise no laboratório. Também há o desafio da automatização do processo de análise para que se possa triplicar o quantitativo realizado”, disse Prado.

A equipe do Labimol é formada por professores geneticistas da Ufopa, residentes do Instituto de Saúde Coletiva da Ufopa (Isco) e servidores da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa) que dão apoio ao trabalho no laboratório.

A relação com os municípios da região é coordenada pela Nona Regional da Sespa, que acompanha o processo de envio das amostras para os testes. “A Sespa está atenta ao cenário da pandemia em todo o estado. Por isso, todos os recursos neste momento são necessários e o Labimol tem sido fundamental para o controle da Covid-19 na região, pois essa análise se dá na própria localidade e isso facilita todo o processo de identificação de novos casos”, destacou o secretário de Saúde do estado, Rômulo Rodovalho.

Fases de atuação

Na primeira fase do Laboratório de Biologia Molecular da Ufopa, realizada em 2020, o espaço de trabalho funcionava no Hospital Regional do Baixo Amazonas do Pará Dr. Waldemar Penna (HRBA). Entre os meses de julho a dezembro, foram realizados mais de sete mil testes, atendendo a 21 municípios da região.

A partir de fevereiro deste ano, com a inauguração das novas instalações na própria universidade, começou a segunda fase do trabalho do Labimol, que integra a Central Analítica da Ufopa. Agora funciona no prédio do Núcleo Tecnológico de Bioativos (NTB) da Universidade, na Unidade Tapajós, Campus Santarém.

Atualmente, o laboratório funciona com estrutura da Ufopa e apoio do Governo do Estado. O trabalho também é desenvolvido em parceria com a Prefeitura de Santarém e com a coordenação da Nona Regional da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa).

Matéria relacionada

Labimol é reinaugurado e passa a integrar Central Analítica da Ufopa

Comunicação/Ufopa

01/04/2021

Foto: Divulgação

Notícia em destaque