Desculpe, o seu navegador não suporta JavaScript!
Buscar somente nesse site.

Universidade Federal do Oeste do Pará

Sobre o atual cenário orçamentário da Ufopa


5 de Setembro de 2019 às 09:57

As aulas da nossa universidade continuarão, assim como os serviços essenciais para seu funcionamento, mesmo diante dos cortes orçamentários impostos pelo Governo Federal.

Em nota emitida em maio (http://www.ufopa.edu.br/ufopa/comunica/noticias/nota-sobre-restricoes-orcamentarias-da-ufopa/), a Gestão Superior da Ufopa divulgou que, devido às restrições orçamentárias que nos foram impostas, não seria possível honrar rigorosamente em dia o pagamento de todos os nossos contratos a partir de julho.

Desde então, as equipes da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Proplan), da Pró-Reitoria de Administração (Proad) e da Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) intensificaram o trabalho, iniciado em 2018, de otimização e, até mesmo, de redução dos contratos vigentes, principalmente os de aluguéis, assim como toda a comunidade acadêmica se engajou em reduzir despesas, como a de energia elétrica.

Apesar dos enormes impactos negativos, o resultado desse esforço coletivo foi o cumprimento dos cronogramas das obras em andamento e o lançamento de todos os editais planejados de bolsas e de assistência estudantil.

Uma vez que já se estão esgotando os recursos disponíveis, será necessária a centralização dos recursos ainda não utilizados pelas unidades acadêmicas e administrativas, o que significa que as atividades programadas deverão aguardar o desbloqueio do orçamento nos próximos meses, conforme sinalizado pelo Ministério da Educação (MEC) em reunião na Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes), da qual fazemos parte. Isto trará prejuízo a várias de nossas ações acadêmicas, executadas por nossos institutos e campi.

Além desta grave situação, a divulgação de notícias falsas não contribui para a solução e não honra os esforços de nossos professores e técnicos, que buscam minimizar os impactos destas restrições orçamentárias.

Nossa postura político-administrativa tem sido responsável, de interlocução com o MEC, de modo crítico-propositivo, pelos canais institucionais, recebendo a garantia de que nossos principais investimentos nos alunos e nas obras de infraestrutura não serão paralisados.

Acreditamos que todos nós faremos o melhor possível, atingindo nossos objetivos institucionais, mesmo em um panorama tão desfavorável.

E vamos continuar lutando!

Santarém, PA, 5 de setembro de 2019.

 

HUGO DINIZ

Reitor

ALDENIZE XAVIER

Vice-reitora

ROGÉRIO FAVACHO

Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional

 

(Comunicado em PDF disponível aqui.)

Notícia em destaque